Veja quanto a IA vai representar na geração de riqueza mundial até 2030 e entenda o reflexo que terá no mercado de trabalho:

Foto: Sputnik / Aleksei Filippov

A contribuição da inteligência artificial (IA) para o Produto Interno Bruto (PIB) global aumentará 16 vezes nos próximos 12 anos, de acordo com o chefe do Sberbank Herman Gref, o maior banco da Rússia.

“A expansão da inteligência artificial nos próximos anos provavelmente só aumentará. Segundo previsões de várias empresas, se hoje a IA contribui com US$ 1 trilhão para o PIB global. Segundo previsões de empresas de consultoria, esse número aumentará 16 vezes nos próximos 12 anos, até 2030”, afirmou.

AUMENTO NA DEMANDA POR ESPECIALISTAS

O número de especialistas em demanda na área também aumentará significativamente, ele acrescentou, explicando que em 10 anos a necessidade chegará a 10 milhões de pessoas.

Um estudo recente do Instituto McKinsey Global sugeriu que a IA poderia impulsionar o crescimento anual do PIB em 1,2% pelo menos até a próxima década.

Cerca de 70% das empresas do mundo adotarão pelo menos uma forma de IA até 2030, de acordo com o modelo de simulação do instituto. A McKinsey disse que o impacto da IA poderia ser comparável ao crescimento trazido pela máquina a vapor.

Um relatório da firma de contabilidade PwC sugeriu anteriormente que a IA e as tecnologias relacionadas gerarão tantos empregos quanto se desloquem nos próximos 20 anos.

A pesquisa, que se concentrou principalmente no Reino Unido, descobriu que, embora a IA possa deslocar cerca de 7 milhões de empregos no país, ela também pode criar 7,2 milhões de papéis, resultando em um modesto aumento líquido de cerca de 200.000 empregos.

Também estimou que cerca de 20% dos empregos seriam automatizados nos próximos 20 anos e nenhum setor deixaria de ser afetado.

Tecnologias como a robótica, os drones e os veículos sem motorista substituiriam os trabalhadores humanos em algumas áreas, mas também criariam muitos empregos adicionais à medida que a produtividade e a renda real aumentassem e novos e melhores produtos fossem desenvolvidos.

*Sputnik Brasil

 

Comentários

comentários