VÍDEO: Mãe da esposa do presidente da Câmara Federal trabalhava de forma irregular para o Senado e ganha salário de R$ 30 mil; Leia mais:

Defensor da reforma da Previdência proposta pelo governo Jair Bolsonaro, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está numa saia justíssima.

Sua sogra, Clara Maria de Vansconcelos Torres Moreira Franco, se aposentou aos 41 anos de idade, em 1997, com salário de R$ 30 mil por mês. Os dados constam no Portal da Tansparência do Senado.

O episódio está sendo explorado pelo secretário de Coordenação das Subprefeituras de São Paulo e fundador da Força Sindical, Luiz Antônio de Medeiros, que chegou a gravar um vídeo nas redes sociais chamando o parlamentar de imoral e afirmando que ele nunca trabalhou. CONFIRA:

QUALQUER UM PODE TRABALHAR ATÉ 80 ANOS? Isso é uma IMORALIDADE do presidente da Câmara dos Deputados, Deputado Rodrigo Maia. Confira:

Gepostet von Portal VIU am Mittwoch, 13. Februar 2019

Fonte: Facebook | Portal VIU!

O vídeo exibe trechos de uma entrevista recente de Maia a Globo News, quando ele teve a infelicidade de afirmar que o brasileiro pode trabalhar até os 80 anos.

A sogra de Maia é socióloga e casada com o ex-ministro Moreira Franco. Segundo reportagem da Folha de São Paulo publicada em 21 de novembro de 1997, ela trabalhava em casa, três horas por dia, e não registrava o ponto – o que é exigido de todos os funcionários. Ela estava vinculada à Secretaria de Comunicação Social do Senado, que funciona em Brasília, mas vivia no Rio de Janeiro.

A reforma da Previdência promete sangrar o governo e seus aliados. É um tema espinhoso para opinião pública e desgastante para os defensores desta pauta. Fernando Henrique e Michel Temer bancaram e deixaram o governo com índices alarmantes de impopularidade. 

Para a oposição é um tema oportuno. Poderá vestir as armaduras para travar um bom combate com o governo de extrema-direita e com chances da capitalizar apoio junto à opinião pública.

Reforma da Previdência é um desejo do mercado financeiro. O argumento é de que sem a reforma, a Previdência está condenada a falência, mas os números contradizem a retórica.

No último dia 8 o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Fazenda Paulo Guedes publicaram decreto no Diário Oficial da União desviando mais de R$ 600 bilhões da Previdência para custear despesas de ministérios, autarquias e outros órgãos da administração Federal. Parte do dinheiro também será usado para fazer transferências para os Estados, Municípios e Distrito Federal.

*Postada às 19h27min

 

Comentários

comentários