Autopecas24

Patrimônio da família do deputado saltou de carro popular a rede de imóveis de luxo, diz reportagem;

Sputinik News – Quando Jair Bolsonaro (PSC-RJ) entrou para a política como vereador do Rio de Janeiro em 1988, seu patrimônio era formado uma moto ano 83, um carro Fiat Panorama ano 83 e dois lotes de pequeno valor em Resende. Hoje, o deputado federal e sua família são donos de uma rede de 13 imóveis de luxo com valor estimado em R$ 15 milhões.

A lista de imóveis incluí apartamentos em alguns dos locais mais caros do Rio de Janeiro, como Copacabana, Urca e Barra da Tijuca, revelou a Folha de S. Paulo neste domingo (7). O jornal fez levantamento em cartórios e nas declarações de bens à Justiça Eleitoral de Bolsonaro e três de seus filhos que são políticos profissionais: o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro e o deputado estadual carioca Flávio Bolsonaro.

A pesquisa encontrou transações suspeitas e uma evolução patrimonial acelerada. Até 2008, o patrimônio da família era de cerca de R$ 1 milhão e eles eram donos de apenas 3 dos atuais 13 imóveis.

As transações de Bolsonaro envolvem dois apartamentos que foram comprados na Barra da Tijuca por R$ 400 mil em 2009 e R$ 500 mil em 2012. O valor, entretanto, é abaixo do valor venal estipulado pela Prefeitura do Rio de Janeiro e por corretores de imóveis — mesmo que a quantia seja reajustada pela correção estipulada pelo Secovi-RJ (sindicato das empresas do ramo imobiliário). O salário bruto de um deputado federal é de R$ 33,7 mil.

REVÉS PARTIDÁRIO

A decisão de Jair Bolsonaro (PSC-RJ) de não se filiar ao PEN-Patriota deixou o presidente da sigla “aliviado”, confessou o dirigentes no sábado (6).

“Fiz das tripas o coração para tê-lo com a gente, mudei o nome do partido, mexi no nosso estatuto, dei mais de 20 diretórios para o grupo dele. Mas você não pode ser convidado para entrar em uma casa e depois querer tomar ela inteira para você, expulsando seus moradores originais”, disse Adilson Barroso em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

Bolsonaro anunciou sua filiação ao PSL. O congressista disse em vídeo publicado em suas redes sociais que “lamenta não ter dado certo com o Patriota” e afirmou não descartar uma coligação no futuro. Jair Bolsonaro posa para foto durante comemoração do dia do Exército, em abril de 2017.

Para Barroso, o acordo com o deputado que está em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto para presidente não deu certo por conta do advogado Gustavo Bebianno — que buscava tomar “o partido inteiro para o grupo de Bolsonaro”.

A chegada de Bolsonaro ao PSL já rendeu polêmica. Após o anúncio da sua filiação, o grupo Livres, que fazia parte da sigla e controlava 12 diretórios estaduais, anunciou sua saída.


 

Comentários

comentários