Conheça o parlamentar preso na Operação Furna da Onça que guardava  uma caixa com relógios, ouro e dinheiro vivo no gabinete;

Preso nesta quinta-feira (8) no âmbito da Operação ‘Furna da Onça’,  no Rio de Janeiro, o vereador Daniel Martins (PDT-RJ), no mínimo, é apaixonado por relógios, ouro e dinheiro.

Em seu gabinete na Câmara de Vereadores do Rio, a Polícia Federal (PF) encontrou uma caixa com diferentes marcas de relógios e muito dinheiro em espécie. A imagem do material apreendido repercutiu nas redes sociais. Confira: 

A operação deflagrada pelo Ministério Público Federal e a PF tem como objetivo desbaratar um esquema de compra de votos de deputado na Alerj. O esquema, segundo as investigações, foi iniciado no governo de Sérgio Cabral.

Daniel Martins é apontado como operador do deputado Luiz Martins, seu padrasto, que também foi preso na operação.

A caixa de relógios foi fotografada entre maços de notas de real, dólar e euro. O valor, no entanto, ainda não foi contabilizado pela polícia.

ANTES DE SE ELEGER VEREADOR, DANIEL MARTINS TRABALHOU NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

De acordo com o MPF, até 2009 Daniel foi servidor da Alerj. No site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ), ele também aparece como um dos doadores das campanhas de Luiz Martins em 2010 e 2014. A doação foi no valor R$ 10,5 mil.

Foram cumpridos os 22 mandados de prisão expedidos pela Justiça. Os agentes também cumpriram 47 mandados de busca e apreensão em vários pontos, inclusive em gabinetes da Alerj e no Palácio Guanabara . Os últimos a serem presos foram Vinicíus Farah, vice-presidente do Detran-RJ, e Leonardo Silva Jacob, atual presidente do órgão.

Farah disputou as eleições este ano e foi eleito deputado federal com 57.707 votos pelo MDB. Eles não chegaram a ser considerados foragidos. De acordo com a polícia, Farah se entregou durante a tarde em Brasília, e Jacob, no Rio.

 

Comentários

comentários