Presidente eleito descarta revalida para médicos brasileiros e diz que jovens advogados são submetidos à condição de “boys de luxo” em escritórios;

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, considera desnecessário submeter os médicos brasileiros ao Revalida, prova de avaliação e qualificação exigida para os profissionais formados fora do Brasil. Ele garante que esta hipótese não é considerada.

Neste domingo (25) ele também criticou a prova realizada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) como condição para os que recém-formados tenham carteira da entidade.

“Eu sou contra o Revalida para os médicos brasileiros, senão vai desaguar na mesma situação que acontece na OAB. Não podemos formar jovens e depois submetê-los a ser boys de luxo em escritórios de advocacia”, afirmou o presidente eleito.

ENTENDA A PROPOSTA DO REVALIDA PARA OS MÉDICOS

Em entrevista ao jornal O Globo, o deputado federal Luiz Henrique Mandetta, confirmado para o Ministério da Saúde, defendeu a aplicação do exame Revalida para os médicos brasileiros, nos moldes do que ocorre com os profissionais da OAB.

Bolsonaro participou de almoço na Escola de Educação Física do Exército, na Urca, no Rio de Janeiro, por ocasião do 10º Encontro do Calção Preto, que reúne antigos e atuais comandantes, professores e monitores da escola.

 

Comentários

comentários