Com desoneração, Petrobras prevê retomada de investimentos nos próximos quatro anos;

Da redação

A retomada da produção de petróleo na Bacia de Campos deve atrair investimentos da ordem de US$ 10 bilhões nos próximos entre 2017 e 2021. A estimativa é da Petrobras com base na política de desoneração.

A proposta da estatal é aplicar os recursos em 48 projetos de desenvolvimento da produção, instalando quatro novas plataformas nos próximos quatro anos. A primeira delas será nos campos de Tartaruga Verde e Tartaruga Mestiça, em 2018.

Outras duas unidades estão previstas no campo Marlim e uma no pré-sal no campo de Albacora.

De acordo com nota oficial da empresa, apesar da parte significativa do pré-sal se concentrar na Bacia de Santos há, também, potencial em águas profundas na Bacia de Campos.

Mas os poços maduros ainda deverão continuar gerando dividendos.

“Uma nova fase do mercado surge com o desenvolvimento de novos projetos para a Bacia de Campos. Os campos maduros ainda vão gerar petróleo para o Brasil e para o mundo. Esses investimentos podem oportunizar 20 mil empregos na região. Além disso, os campos que têm pré-sal na região irão produzir óleo mais leve, com grande reconhecimento no mercado pela qualidade”, destaca o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio Júnior (PMDB), que lidera uma campanha pela retomada de investimentos na região.

Recentemente, a Petrobras divulgou descoberta de petróleo no pré-sal da área de Marlim Sul, na Bacia de Campos, conhecida, informalmente, como Poraquê Alto, em profundidade de 4.568 metros.

O poço que identificou a descoberta está localizado a 115 km da costa do Rio de Janeiro, em profundidade d’água de 1.107m.

Campanha
Prefeito de Macaé-RJ, Dr. Aluízio

LEILÕES DA ANP

Com a 14ª Rodada de Licitações de Blocos para Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural, sob regime de concessão, marcada para 27 de setembro, avança a estimativa de crescimento do setor de petróleo e gás na Bacia de Campos e seu reflexo em Macaé.

O possível aquecimento é reforçado com a declaração da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que espera apressar os trabalhos para conseguir publicar a regulamentação da resolução que tratará, dentre outros aspectos, da redução dos royalties para a produção que for obtida com a revitalização de campos maduros.

#MENOS ROYALTIES, MAIS INVESTIMENTOS

A resolução 17, de 08 de junho de 2017, publicada no Diário Oficial da União em 06 de julho de 2017 pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), diminui em 50% o percentual dos royalties, que hoje é de 10%, sobre o que resultar do incremento da produção.

Passará a valer o valor de até 5% dos royalties cobrados sobre o volume que for produzido, a partir da revitalização dos campos antigos que estão com a produção em declínio natural.

De acordo com cálculos da ANP, na Bacia de Campos o fator de recuperação é da ordem de 24%, ou seja, o volume de óleo que pode ser extraído.

A ANP também afirma que cada 1% de aumento do fator de recuperação das reservas pode representar investimentos da ordem de US$ 18 bilhões, possibilitando a extração de mais cerca de 2,2 bilhões de barris de petróleo.

*Agência VIU!

Comentários

comentários