Empresas norte-americanas aumentam quantidade de sondas em operação, garantem estoque de petróleo interno e equilibram cotação internacional; Leia mais:

Mesmo com a oferta de petróleo abundante no mercado internacional e os preços em queda, as empresas de energia dos Estados Unidos estão acelerando a produção interna e aumentando o estoque do país.

Pela quarta semana consecutiva, os produtores colocaram mais sondas em operação.

A contagem desses equipamentos operando está no maior nível em três anos, mesmo com os preços futuros da commodity em queda pela quinta semana consecutiva e atingindo cotações mínimas desde fevereiro.

As petroleiras acrescentaram 12 sondas na semana até 9 de novembro, levando a contagem total para 886, o maior nível desde março de 2015, disse a empresa de serviços de energia Baker Hughes, da GE, em relatório semanal publicado na sexta-feira (9).

AUMENTO NA PRODUÇÃO DOS EUA É UM INDICADOR DE PREÇOS FUTUROS

A contagem de sondas dos EUA em operação, um indicador prévio da produção futura, está muito mais alta do que há um ano, quando 738 sondas estavam ativas. As companhias de energia têm aumentado a produção para tirar vantagem dos preços mais altos em 2018 ante aos preços praticados em 2017.

Nos últimos dias, os preços futuros do petróleo dos EUA têm sido negociados por volta de US$ 60 dólares por barril. Esta cotação é influenciada pela oferta global em alta, a preocupação dos investidores com o impacto do menor crescimento econômico e as disputas comerciais sobre a demanda por combustível.

 

Comentários

comentários