Delatado por um criminoso confesso, Rodrigo Neves escreve aos amigos e narra como passou o natal e a virada de ano na cadeia;

Foto: EBC

O prefeito de Niterói (RJ), Rodrigo Neves (PDT), completou 40 dias de cárcere. Sua prisão é um dos capítulos dos tempos estranhos que o Brasil vivencia, com a judicialização da política e a criminalização de políticos com ampla cobertura midiática.  

É mais um personagem penalizado antes de ser julgado. Não surpreende. O Brasil continua do jeito que Tim Maia descreveu: “um  país que não pode dar certo, por aqui “traficante se vicia, prostituta se apaixona e pobre é de direita”. Vou além:  aqui bandido tem fé pública, juiz de primeira instância manda na Suprema Corte, participa de campanha eleitoral por vias transversas, prende oponentes políticos e depois vira ministro.  

Rodrigo Neves foi preso em dezembro do ano passado no âmbito da Operação Alameda, realizada pela Polícia Civil e Ministério Público Estadual (MPRJ). Ele é acusado de receber propina de empresas no setor de transporte coletivo, conduta descrita pelo MP como crime de corrupção e organização criminosa.

CLIQUE ABAIXO E ENTENDA O CASO: 

NITERÓI (RJ) | Prisão do prefeito na Operação Alameda

Em carta enviada aos amigos e familiares, Neves narra o martírio iniciado a partir da delação de um criminosos em troca de alívio para futuras condenações. Não há uma única prova que o incrimine, segundo explica.

Sociólogo e reeleito para um segundo mandato à frente de uma uma gestão eficiente, o prefeito era uma promessa para disputa ao governo do Estado em 2022. A prisão foi um duro golpe neste projeto e também na vida pessoal, porque no atual ambiente de caça às bruxas sobra pouco espaço para o contraditório. Com o advento da delação tropical, bandido ganhou fé pública. Assim permanecerá, até que uma futura Comissão da Verdade permita reescrever a história. 

LEIA CARTA DE RODRIGO NEVES:

Queridos familiares e famílias queridas de Niterói,

Hoje, finalmente, após quase 40 dias injustamente preso e afastado do mandato democraticamente conferido por milhares de cidadãos niteroienses, recebi a visita de minha esposa e filhos mais velhos. Foi uma alegria imensa para o meu coração! Infelizmente, não foi possível compartilhar com eles e todos vocês as celebrações do Natal e do Réveillon que planejamos com tanto carinho e amor até o dia 09/12. Mas, hoje, celebrei com eles o Natal e o Ano Novo.

Estou FIRME, FORTE e SAUDÁVEL, realizando exercícios físicos, lendo muito e, sobretudo, orando a Deus com alguns colegas de cárcere que comungam da fé cristã. Estou sendo tratado como dignidade no sistema penitenciário, apesar dos históricos de problemas estruturais, do confinamento 22h/dia em uma cela com dezenas de pessoas e da sensação térmica de quase 50º graus na região onde estou.

Estou sereno e confiante, não guardo raiva ou rancor de ninguém, mas tenho profundo sentimento de INDIGNAÇÃO diante da INJUSTIÇA que estou sendo vítima! Nem antes do afastamento de minhas funções como chefe do Executivo Municipal, nem do dia de minha prisão e durante todos esses 40 dias, tive a oportunidade ou fui chamado para ser ouvido e prestar esclarecimentos sobre o caso.

A citação em uma delação de um criminoso confesso – que durante 10 anos foi presidente do Sindicato de Empresas de Ônibus de várias cidades do interior – com o qual nunca tive qualquer relação pessoal e com quem estive apenas 3 vezes, em locais públicos, em 6 anos de gestão, inclusive para contrariar o pedido de extinção da taxa de utilização do Terminal João Goulart para ônibus intermunicipais.

Tal delação, sem qualquer PROVA ou indício de crime que tenha sido cometido por mim, não poderia ensejar medidas tão graves como o afastamento de um mandato conferido pela soberania dos cidadão e uma prisão.

O próprio Ministério Público Federal, ao compartilhar a delação desse senhor com o Ministério Público Estadual, esclarece que no caso específico de Niterói “não foram apresentados elementos de corroboração” que provasse as ilações do delator criminoso, que sequer possui empresas na cidade.

As investigações, apreensões e quebra de todos os meus sigilos, realizadas antes e após minha prisão, em 10/12, não apontaram NENHUMA PROVA ou indício de qualquer crime que tenha sido cometido por mim.

O COAF, órgão tão falado ultimamente, diferente de outros casos, afirma incisivamente que em relação ao prefeito de Niterói/Rodrigo NADA CONSTA! Não há movimentações financeiras atípicas ou suspeitas. Em mais de 20 anos de trabalho, eu, Fernanda e nossos filhos, vivemos uma vida simples e com as dificuldades de todas as famílias de classe média. Em mais de 24 anos de casados, minha esposa não possui joias, não temos carro, não viajamos ao exterior com frequência e o único bem que temos é um apartamento de classe  média na Rua Vereador Duque Estrada, onde moramos, em um bairro de classe média de Niterói. Asseguro a todos vocês que em toda minha vida pública e na gestão de Niterói, reconhecida por vários rankings independentes relacionados a gestão responsável e a transparência, nunca recebi qualquer vantagem indevida ou pessoal! Repudio as estapafúrdia, INFUNDADA e mentirosa ilação de que teria recebido benefício ou vantagem pessoal de quaisquer empresas de transportes ou qualquer outra empresa!

Os fatos, documentos públicos,  todos materiais apreendidos e a quebra de meus sigilos só reforçam minha inocência! A licitação e o contrato de concessão de transporte público em Niterói foi realizado antes do meu governo. O contrato, assinado em administração anterior, estabelecia três   tarifas diferenciadas para ônibus municipais em Niterói (para Região Oceânica, com ar condicionado e a básica). Uma das primeiras medidas que tomei em 2013, ao assumir, foi o decreto de unificação das tarifas pelo valor da mais baixa, sem a qual a tarifa hoje estaria em R$4,60. O contrato assinado antes de meu governo, além do valor de tarifa mais cara,  não estabelecia obrigatoriedade de ônibus com ar condicionado.

Em 2014 e 2015, estabeleci por decretos percentuais de 80% e 90%  a climatização com ar condicionado para os ônibus em Niterói. O contrato feito em administração anterior estabelecia reajuste anual das tarifas pela inflação e outro bianual com uma cesta de insumos do setor. Durante os 6 anos de meu governo, foram concedidos apenas 3 reajustes dos vários  estabelecidos no contrato feito em gestão anterior, contrariando os interesses das concessionárias de transporte de Niterói, reduzindo suas margens de lucros e ampliando as conquistas da população. Por isso, hoje, a tarifa de nossa cidade é a menor da Região Metropolitana e, ao mesmo tempo, temos a frota de ônibus mais climatizada do Estado, com mais de 80% de ônibus com ar condicionado, muito mais do que São Gonçalo e Rio de Janeiro, que tem tarifas maiores do que a de Niterói.

Em relação ao pagamento do ressarcimento de gratuidades previstas em licitação anterior a minha gestão, elas praticamente não foram pagas durante o meu 1º mandato, porque assumi a prefeitura em grave crise financeira e a prioridade foi pagar salários atrasados e mantê-los em dia até hoje, investir em educação, saúde e segurança, ao invés de pagar o ressarcimento aos empresários de ônibus. A dívida acumulada dos ressarcimentos das gratuidades entre 2013-2016 chegou a 80 milhões de reais e, após dura negociação feita pela área técnica da prefeitura, a mesma foi reduzida com desconto para 50 milhões de reais, em 25 parcelas, que somente foram pagas em 2017 e 2018, conforme pode ser observado no Portal da Transparência da Prefeitura, após conquistamos equilíbrio fiscal nas contas públicas de Niterói.

O estudo independente da FGV em 2017, um dos primeiros desse tipo no país, confirmou a seriedade da transparência e correção do sistema de Niterói, a despeito de novas melhorias que podem e devem ser feitas no sistema municipal de ônibus.

Por minha formação como sociólogo, com forte influência de Max Weber, sempre acreditei e coloquei em prática a profissionalização da administração pública de Niterói, na correta distinção do público e privado, e uma relação republicana com quaisquer empresários. Se algum erro cometi, foi, na verdade, contrariar alguns aspectos da licitação anterior à minha gestão e unificar tarifas pela mais baixa, estabelecer e cobrar a climatização da frota de ônibus de Niterói, congelar tarifas em 3 dos 6 anos de meu governo e não conceder os aumentos de tarifas estabelecidos na licitação anterior a minha gestão!

Como posso ser mal intencionado ou criminoso se, com uma gestão responsável, consegui ampliar de R$ 10 milhões, em 2013, para R$ 400 milhões, em 2018, o Fundo de Previdência dos Servidores Municipais;  guardar com responsabilidade e honestidade 1 bilhão de reais nos cofres da prefeitura de Niterói, o que hoje nenhuma cidade do Brasil tem e ainda propor um Fundo Soberano com recursos dos royalties para as futuras gerações de niteroienses, enquanto em minha vida pessoal vivo no cheque especial, conforme a quebra de meus sigilos demonstraram?

Amigos e amigas, estou muito sereno e confio que as instituições, como o Ministério Público Estadual – tão importante para o correto e justo funcionamento do Rio de Janeiro – e o Poder Judiciário – essencial para o Estado Democrático de Direito e garantias constitucionais – vão analisar mais detidamente todos os documentos apreendidos, me darão a oportunidade de prestar esclarecimentos e irão fazer JUSTIÇA, concedendo-me liberdade e retornando-me ao mandato democrático conferido por milhares de cidadãos niteroienses. Mesmo que você não concorde com algumas ações de meu governo, convenhamos que não estou sendo tratado com Justiça, quando sequer sou ouvido em todo esse tempo para prestar esclarecimentos e estou preso sem julgamento, sem indícios e SEM PROVAS contra mim.

Tudo que mais desejo é que a Verdade e a Justiça prevaleçam! Tudo o que mais quero é voltar ao convívio do meu lar com minha esposa e filhos que amo tanto, junto com vocês concluir o mandato para o qual fui democraticamente eleito e trabalhar muito, como fiz nesses  6 anos, para fazer de Niterói um lugar melhor para viver e ser feliz, no meio do contexto de crise geral do Rio de Janeiro.

Agradeço de todo coração as muitas manifestações de apoio que tenho recebido de todos vocês e renovo o pedido de orações aos que creem em Deus e o pensamento positivo a todos homens e mulheres de boa vontade.

Um abençoado domingo e semana para todos!

Rodrigo Neves”

 

Comentários

comentários