Conhecido como “Rei dos Ônibus”, Jacob Barata diz que pagamento de propina no RJ só deixou de acontecer no governo Brizola; Leia mais:

Nos esquemas de corrupção aqui no Rio de Janeiro, cada delação aponta uma cifra milionária desviada dos contribuintes. Nesta quinta-feira (12), diante do juiz da 7ª Vara Federal Criminal, Marcelo Bretas, o empresário Jacob Barata afirmou que pagou R$ 145 milhões ao ex-governador Sérgio Cabral Filho.

Só não explicou se foi à titulo de propina ou contribuição de campanha por meio de caixa 2. O montante, segundo ele, foi repassado entre os anos de 2010 e 2016.

O empresário do setor de transportes coletivos, também conhecido como “Rei dos Ônibus”, atualmente está em prisão domiciliar.

O empresário destacou que a orgia entre empresários de ônibus e governos é antiga, “só não aconteceu no primeiro governo Brizola, entre 1983 e 1987”. De resto, são mais de duas décadas de relação espúria entre público e privado, que segundo relatou, fizeram com que as contribuições de campanha via caixa 2 se tornassem praticamente uma obrigação.

O Ministério Público Federal, neste momento, trabalha em uma investigação sobre a relação entre os empresários e a gestão de Eduardo Paes, na prefeitura do Rio. Vem mais podridão por aí. A força-tarefa, inevitavelmente, chegará em cidades do interior que mantinham ou mantém programas de passagens subsidiadas por prefeituras.

 

Comentários

comentários