Números consolidados da execução orçamentária de 2017 mostram que orçamento de 2018 está superestimado;

Começam a sair os primeiros números consolidados da execução orçamentária do município de Campos dos Goytacazes, a terra do açúcar e do petróleo. O que nos chama atenção é a Receita Corrente Líquida do poder público do ano de 2017, que totaliza, apenas, R$ 1,528 bilhão. Uma cifra muito distante das pretensões orçamentárias estimadas para o ano de 2018, que atingem (de fato) algo em torno de R$ 1,85 bilhão.

Assim, para chegar ao valor estimado para 2018 precisaríamos de um incremento de receita da ordem de 20%, praticamente impossível, diante de uma recessão e desemprego e fechamento de lojas na cidade.

Outra conta interessante é o custo bruto dos cargos de comissão, salários, remunerações no somatório do Poder Legislativo e no Poder Executivo (que totaliza algo em torno 1.400 pessoas com bons salários médios – algo em torno de R$ 5 mil) na cidade. Isso totaliza anualmente cerca de R$ 70 milhões, ou seja, 5% da receita corrente líquida  algo até razoável, convenhamos).

Portanto, as dificuldades de caixa devem ser ainda uma constante para a administração municipal em 2018, o que vai exigir um extraordinário malabarismo fiscal e financeiro para a elite dirigente da cidade preocupada em cortar custos e seguir em frente. Portanto…


 

Comentários

comentários