Em depósito de lixo, cientistas potencializam enzima mutante que comem garrafas PETs, o que pode resolver um grande problema para o planeta;

*Foto: AFP 2018/FRED DUFOUR

Um grupo internacional de cientistas criou, por acaso, uma enzima mutante capaz de reciclar objetos plásticos, informa o jornal The Guardian.

A pesquisa foi iniciada em 2016, quando em um depósito de lixo no Japão foi encontrada uma bactéria que evoluiu naturalmente e se tornou capaz de comer plástico — tereftalato de polietileno (PET, sigla em inglês), que habitualmente é usado para produzir recipientes de bebidas.

Os especialistas manipularam a bactéria para entender se era ou não possível reciclar PET. Assim, no decurso de seus experimentos conseguiram acidentalmente melhorar as capacidades dessa enzima mutante para desintegrar o plástico.

A nova enzima só necessita alguns dias para destruir o plástico, enquanto a bactéria encontrada originalmente no Japão não podia fazê-lo de modo tão rápido. Os cientistas acreditam ser possível melhorar e acelerar ainda mais o processo de decomposição realizado pela enzima. Hoje em dia, tecnologias modernas são capazes de modificar enzimas para torná-las mais efetivas.

De acordo com os cientistas, esta descoberta conseguirá resolver o problema de reciclagem do plástico em breve. Por exemplo, John McGeehan, professor da Universidade de Portsmouth e investigador do projeto, espera que as modificações da bactéria permitam reciclar plástico para devolvê-lo a seus componentes originais, e de tal maneira reduzir a excessiva quantidade do material poluente em depósitos por todo o mundo.

*Agência Sputnik News

 

Comentários

comentários