VÍDEOS E FOTOS | Mais de 25 mortos e dezenas de feridos durante o ataque à parada militar em cidade iraniana;

RT – Um desfile do exército na cidade de Ahvaz, no sudoeste do Irã, foi atacado por  terroristas neste sábado (22). Jornalistas e crianças estão entre as vítimas de dos tiros disparados durante o evento. Já são mais de 20 mortos e mais de 50 feridos.

Fonte: RT – Youtube

Quatro atiradores abriram fogo atrás das arquibancadas durante a parada militar. O evento contou com a presença de membros da elite local, incluindo o governador de Ahvaz, bem como clérigos e MPs de alto escalão. Houve vários tiroteios no evento, que  contou com  tropas da 92ª Divisão Blindada do Exército Iraniano.

Foto: Mehdi Pedramkhou / Notícias do MEHR / AP

O ataque deixou até 25 pessoas mortas, informa a agência de notícias oficial Irna. Até 60 pessoas ficaram feridas, incluindo mulheres e crianças. Jornalistas cobrindo o desfile também ficaram sob fogo.

Os atiradores estavam aparentemente vestindo uniformes militares, e o ataque durou cerca de 10 minutos. Os quatro atiradores foram neutralizados.

Fonte: RT – Youtube

“Os terroristas disfarçados como Corpo de Guardas da Revolução Islâmica (IRGC) e forças Basiji (paramilitares) abriram fogo … de trás do estande durante o desfile” , informaram as  autoridades.

O atentado foi revindicado  pelo grupo “Movimento Democrático Árabe Patriótico em Ahwaz”. “Os indivíduos que dispararam contra o povo e as forças armadas durante o desfile estão ligados ao grupo al-Ahvaziya, que é financiado pela Arábia Saudita”, confirmou o porta-voz do Corpo de Guardas da Revolução Islâmica (IRGC), Ramezan Sharif.

Mais tarde, as forças armadas iranianas reduziram as acusações contra seus aliados regionais, dizendo que os terroristas eram de fato treinados por dois “países do Golfo” e tinham laços com os EUA e a agência de espionagem israelense Mossad. Washington nem Tel Aviv ou Riyadh não comentaram as alegações.

Foto: Morteza Jaberian / ISNA / AFP

Após o ataque, o Estado Islâmico disse que seus membros estavam por trás do tiroteio, mas as alegações foram refutadas por autoridades iranianas. O ataque acontece quando a nação comemora o fim da Guerra Irã-Iraque que terminou em 1988. O aniversário foi marcado por um grande evento militar em Teerã, onde lançadores de mísseis, armaduras pesadas e tropas desfilaram pela rua principal da capital.

Durante o desfile em Teerã, altos funcionários iranianos aproveitaram a oportunidade para enviar uma mensagem aos EUA. Hassan Rouhani disse que o Irã nunca abandonará seus esforços para desenvolver mísseis balísticos, já que estes são “as armas mais poderosas da República Islâmica”. Ele enfatizou sua natureza “defensiva” .

O líder supremo, aiatolá Ali Khamenei, também vinculou o ataque Ahvaz aos aliados dos EUA na região. Em uma declaração em seu site, Khamenei disse que ordenou às forças de segurança que rastreassem rapidamente os “criminosos” responsáveis ​​pelo ato e os levassem à justiça.

 

Comentários

comentários