IMAGENS FORTES | Conheça a cidade onde o silêncio é garantia de sobrevivência: duas execuções em menos três semanas e outros crimes continuam sem resposta;

Em Seropédica (RJ), um município com pouco mais de 83 mil habitantes na Baixada Fluminense, as diferenças no campo político se resolvem com tiro. Desde 2015, cinco ativistas políticos foram executados na cidade. A percepção aqui é de terra sem lei.

O ex-candidato a prefeito Miguel Angelo Steffan de Souza, de 51 anos, também conhecido como “Miguelzinho Seropédica”, é o segundo político assassinado em menos de três semanas na cidade.

Era um opositor da administração municipal, tanto formulando denúncias quanto gravando vídeos em redes sociais. Miguelzinho foi executado a tiros na manhã de domingo (11), enquanto conversava em uma padaria. Há indícios de crime político.

Fonte: STB-RJ | Youtube

ENTENDA COMO FOI A EXECUÇÃO E CONFIRA IMAGENS

O criminoso entrou no estabelecimento armado de um fuzil e tendo o rosto coberto por uma máscara. É o que revela as imagens do circuito interno de câmeras na imagem acima.

No dia 25 de outubro, Rafael de Siqueira Cardoso, conhecido como “Rafael 39”, de 37 anos, foi outro político assassinado a tiros. O crime também ocorreu dentro de uma padaria.

Fonte: STB-RJ | Youtube

Cardoso era empresário no ramo de extração e transporte de minerais. Disputou um mandato na Câmara de Vereadores  pelo PDT em 2016, ficando como primeiro suplente de sua coligação, chegando a atuar temporariamente como Subsecretario de Obras do município da Baixada Fluminense.

SÉRIE DE REPORTAGENS DO SBT RIO EVIDENCIOU DENÚNCIAS

O SBT Rio, no ano passado, realizou uma série de reportagens sobre o domínio do coronelismo em cidades do Estado. Seropédica foi um dos temas da série. Miguelzinho foi entrevistado e fez várias denúncias contra a administração do prefeito Anabal Barbosa (PDT) e seus três filhos, todos Policiais Militares, que estariam exercendo comando na administração municipal sem nomeação.

Foto: Whatsapp

Outro ativista que foi ouvido pela reportagem, Davi Camilo de Oliveira, foi executado em outubro de 2017.

Em 2015, o vereador Luciano Batista, o Luciano DJ, que seria vice na chapa de Miguelzinho na disputa pela prefeitura em 2016,  foi executado na saída de uma festa.

Fonte: STB-RJ | Youtube

Um ano ante, em 2015, Julio César Reis, outro aliado de Miguelzinho foi morto à tiros. Todos os crimes estão sendo investigados pela Delegação de Homicídios da Baixada Fluminense.

 

Comentários

comentários