Se o seu felino aparecer com feridas, fique de olho, porque pode ser o indicativo de uma doença altamente contagiosa; Leia mais:

Se o seu gato apareceu com feridas que estão se agravando, cuidado, ele pode estar com esporotricose.

A cidade do Rio de Janeiro enfrenta uma hiperendemia desta doença que afeta os felinos, cachorros, animais silvestres, mas que também pode ser transmitida para os seres humanos.

Além do Rio de Janeiro, há relatos de vários casos na cidade de Campos dos Goytacazes (RJ), no Norte do Estado.

As pessoas devem ficar atentas, porque as feridas, além de trazerem riscos para a saúde humana, provoca um grande sofrimento para o animal.

PARA ENTENDER A ESPOROTRICOSE

A doença é provocada por um fungo da espécie Sporothrix spp. Ele encontra ambiente em países com climas tropicais e subtropicais, habitando no solo, palha, vegetais, espinhos e madeiras. Por isso, durante muitos anos foi também conhecida como “doença do jardineiro”. Era comum afetar trabalhadores que atuam com jardinagem e agricultura.

A esporotricose atinge cachorros e seres humanos, geralmente, com baixa virulência. Já nos gatos atinge de forma mais grave.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, “não há evidências de transmissão de cachorro para homem ou de homem para homem”. A maioria dos relatos é de transmissão de gatos para cachorros e de gatos para o homem. Os gatos, portanto, são os maiores transmissores da doença.

*Agência VIU!

 

Comentários

comentários