Jornal do SBT desvenda esquema envolvendo apropriação indevida de dinheiro por meio de terceirizados;

O jornal do SBT Rio cutucou o vespeiro na Prefeitura e Câmara de Vereadores de Mesquita, na região Metropolitana do Rio de Janeiro. Uma reportagem investigativa que foi ao ar nesta segunda-feira (11) denuncia um suposto esquema de desvio de recursos públicos por meio de terceirização de mão de obra na Prefeitura.

Ex-funcionário terceirizado na Secretaria Municipal de Saúde, Marcelo Arioniro Braziliense de Almeida foi gravado pela emissora ao afirmar que recebia dinheiro da prefeitura por meio de cooperativa e repassava 90% para um vereador. Ele recebia da Prefeitura através da Cooperativa de Profissionais de Serviços Gerais (Coopsege), que atuou no município entre os anos de 2013 e 2016 e durante o período faturou cerca de R$ 200 milhões.

Um dos beneficiários do esquema seria o presidente do legislativo Marcelo Biriba (foto). O funcionário ouvido pelo SBT diz que recebia R$ 5 mil, repassava R$ 4.500 para Biriba e ficava apenas com R$ 500. Outros parlamentares também teriam indicado fantasmas para receber dinheiro. Ouvido pela emissora, Biriba negou que tenha participado. O esquema, segundo o SBT, ocorreu na gestão do ex-prefeito Gelsinho Guerreiro. CONFIRA REPORTAGEM:

O esquema de Mesquita pode ser a pontinha de um iceberg que costuma ancorar em outros legislativos do Estado do Rio. Câmara de Vereadores é como cozinha de restaurante: quem entra não come. Nomeação em cargos de confiança ou contratos temporários costumam funcionar como “farra do boi”. É possível que o SBT esteja no caminho de levantar uma podridão ampla, geral e irrestrita em boa parte dos legislativos municipais.

*Agência VIU! 

 

Comentários

comentários