Para coibir entrada dos produtos pela selva, Exército brasileiro já trocou tiros com dissentes das FARC;

Da redação

Operações realizadas em parceria com órgãos de segurança, Forças Armadas e com informações do governo colombiano, combateram o tráfico e flagraram transporte de drogas na Amazônia, nos rios Negro, Japurá e Içá.

Segundo o Comandante Militar da Amazônia, General de Exército Geraldo Antônio Miotto, mais de cinco toneladas de drogas foram apreendidas na região da Amazônia somente no início de 2018.

“Somente esse ano, temos apreensões de mais de 5 toneladas de ‘skunk’ [variedade de Cannabis]…no rio Negro, Japurá e Iça”, disse o militar ao programa Bom Dia Amazônia da emissora Globo.

“Sempre os traficantes, dissidentes das FARC [Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia], reagindo a bala”, completou.

O general ressaltou o permanente estado de prontidão das tropas e a disponibilidade de equipamentos de última geração para o enfrentamento dos crimes transnacionais, como tráfico de drogas e armas, além do garimpo ilegal para garantir a manutenção da soberania nacional.

A principal dificuldade de atuação na Amazônia, segundo ele, é a logística para dar assistência aos militares nos 24 pelotões especiais de fronteira.

“Temos, ainda, pelotões que bebem da chuva e têm energia poucas horas da noite. Mas tudo isso está sendo incrementado. Eu espero que a curtíssimo prazo nós tenhamos melhores condições de atender aos nossos pelotões de fronteira e às comunidades que vivem no entorno, porque a obrigação do pelotão de fronteira é também proporcionar apoio de saúde, de educação e de logística à comunidade que vive no entorno”, explicou.

*Sputnik News

Comentários

comentários