Para 2019 é melhor comprar imóvel, construir, ou reformar? Veja a recomendação da arquiteta Letícia Loureiro:

Mudança de casa ou de visual no imóvel não é uma tarefa tão simples. Exige planejamento. O recomendável para quem vai encarar a mudança, é consultar um arquiteto. Além de focar na entrega de um ambiente personalizado, esse profissional também se preocupa com o conforto e funcionalidade.

Outra vantagem, é o que o arquiteto pode ajudar a dirimir dúvidas sobre a construção de uma casa, criação de um anexo ou reforma de um cômodo.

Arquiteta Letícia Loureiro
Foto: Divulgação

MERCADO APOSTA NOS IMÓVEIS MENORES

O mercado imobiliário está apostando na construção de imóveis cada vez mais compactos. É a massificação da moradia com 50  metros quadrados. A otimização desses espaços se tornou um desafio para quem vai morar e para o profissional que vai decorar.

A arquiteta Letícia Loureiro, com escritório localizado na praia de Icaraí, em Niterói (RJ), foi responsável pelo projeto de interiores do Paradiso Hotel Macaé, na orla da praia dos Cavaleiros.

Ela também atuou em outros projetos de  nas cidades de Niterói e Rio de Janeiro. O seu trabalho vai da análise do espaço para adequação às necessidades do cotidiano ao acompanhamento de obras, dando dicas para redução de custos e usando boas opções de materiais no mercado. Confira as dicas: 

Arquiteta Letícia Loureiro
Arquitetura Letícia Loureiro | Foto: Divulgação

1 – PARA QUEM VAI MUDAR, DESAPEGAR É PRECISO

Letícia Loureiro diz que o primeiro passo de quem vai sair de um espaço maior para uma moradia mais compactada é  desapegar do que é desnecessário.

“Recomendo estabelecer prioridades em relação a hábitos e preferências, de forma a privilegiar o que mais importa. E, ainda, realizar um projeto de interiores ou uma consultoria com um arquiteto, como forma de encontrar a melhor solução para os espaços disponíveis, unindo funcionalidade e estética, garantindo o bem-estar. Nos meus projetos, utilizo diferentes recursos da arquitetura para otimização de pequenos espaços como, por exemplo, setorização da iluminação, o uso de cores e materiais variados de forma conjugada, ou a escolha de mobiliário e modulados para criar ambientes multifuncionais”.

Arquitetura | Foto: Divulgação
Arquiteta Letícia Loureiro | Foto: Divulgação

2 – NÃO ABRA MÃO DO PROJETO

Quem já mora em um apartamento ou casa, mas quer  melhor conforto e funcionalidade, antes de colocar a mão na massa, deve solicitar um projeto ao arquiteto.

“Uma boa estimativa de custos para aquisição de materiais, execução da obra e contratação de pessoal é essencial para ajudar na decisão.  Para um mesmo projeto, apresento sempre opções de soluções, onde o cliente tem a possibilidade de perceber o que está contemplado em cada uma, fazendo com que ele possa identificar de que forma as prioridades estabelecidas estão sendo atendidas. Como o mercado oferece uma gama de materiais e tecnologias cada vez mais variada, há soluções funcionais e de bom gosto para diferentes orçamentos”.

Arquitetura em Niterói (RJ)
Arquitetura de Letícia Loureiro | Foto: Divulgação

3 – PARA QUEM VAI CONSTRUIR

Já para quem tem um terreno e planeja iniciar uma obra em 2019, há novidades na área de construção, como técnicas construtivas alternativas com elementos pré-moldados ou estruturas modulares que podem ser utilizadas também em conjunto com as técnicas construtivas tradicionais. Podem ser empregadas, ainda, material misto envolvendo estruturas metálicas e a alvenaria, além do drywall.

Arquiteta Letícia Loureiro
Arquiteta Letícia Loureiro | Foto: Divulgação

“No caso da pintura, as tintas apresentam melhoria da resistência à água, melhores propriedades para aplicação, com serviço mais limpo e com melhor custo-benefício. Os revestimentos também vêm sendo desenvolvidos para atender com maior eficácia cada necessidade de uso, opções estéticas e gosto pessoal, com maior durabilidade e resistência. A construção de uma casa nova, partindo do zero, deve contemplar, ainda, as novas tecnologias voltadas para a sustentabilidade, seja de aproveitamento de energia solar, de reuso de água ou do aproveitamento da chuva, ou de um projeto de iluminação que aproveite a luz natural e seja eficiente na programação da luz artificial, ou até mesmo de um projeto de paisagismo que se integre com o projeto construtivo. Procuro sempre utilizar esses conceitos em meus trabalhos. Mais do que tendência, sustentabilidade é uma urgência para o planeta”.

Letícia Loureiro - Arquiteta
Arquitetura de Letícia Loureiro | Foto: Divulgação

4 – ARQUITETURA DE INTERIORES

Algumas tendências são os espaços clean que contribuem com as sensações de relaxamento e organização, os ambientes integrados e multifuncionais. Estão em alta os tons metálicos, as cores pastéis, texturas amadeiradas, o uso de revestimentos sem acabamentos, do concreto aparente, de vigas e encanamentos aparentes. Também é recomendável o uso e de materiais orgânicos e naturais que remetem à natureza, inclusive cores como o verde, além da adoção das plantas como forma de equilíbrio e conforto para a mente.

“Quando uma pessoa se propõe a mudar seu espaço é considerado o gosto, e também as peças utilitárias e de valor sentimental. Hoje, inclusive, há tendências relacionadas a reaproveitar móveis e objetos, como cômodas antigas ou cristaleiras que podem dar um ar retrô ao ambiente, receber o destaque desejado e preservar a história da família”.

5 – REFORMAR OU CONSTRUIR?

Letícia Loureiro acredita que as pessoas estarão mais conscientes que reformar seus imóveis pode representar uma valorização diante de um mercado retraído. Tanto para revenda como para aluguel. Outras estarão substituindo a ideia de uma mudança de casa pela opção de permanecer na mesma casa. Evitar o desperdício está na ordem do dia. 

“Há apostas na inovação, pois o setor da construção civil não acompanhou a evolução tecnológica experimentada por outros setores, apresentando altas taxas de desperdício e redução da produtividade. No entanto, novas tecnologias específicas vêm desenvolvendo e modernizando o setor. De qualquer forma, a recuperação da economia, o aumento do nível de empregos e do poder de compra dos cidadãos são elementos essenciais para essa recuperação da construção civil e do mercado imobiliário.  Espero que isso se concretize logo e que todos possam dar andamento aos seus sonhos de moradia ou aos seus desejos de empreendimento, e que venham muitos projetos para ajudar a transformar ainda mais a vida das pessoas. A arquitetura torna a vida mais organizada, mais saudável, do ponto de vista físico e mental.

 

Comentários

comentários