Estudos apontam que 30% das profissões nos países desenvolvidos  serão substituídas por máquinas até 2035;

O mercado trabalhista em países desenvolvidos estará sujeito a grandes mudanças: o ano de 2035 será marcado pela inutilidade de 25 a 30% das profissões existentes devido à robotização, como afirma o Centro de Estudos Estratégicos.

“Segundo previsões, até 2035, nos países desenvolvidos, os robôs vão substituir de 25 a 30% das atividades profissionais realizadas por seres humanos”, destaca o texto.

O centro assegura que “nos próximos tempos, esperam-se mudanças grandes no mercado trabalhista, especialmente nas profissões tradicionais”.

“As mudanças da estrutura do mercado de trabalho a favor da robotização das produções vão reduzir a ocupação humana no segmento das profissões trabalhistas.”

Os autores do documento consideram que a Rússia precisa aumentar ao menos duas vezes a efetividade de suas produções para diminuir a lacuna existente em relação aos países desenvolvidos.

Em 2015, o nível de produtividade trabalhista na Rússia era 2,5 vezes menor do que nos EUA: 25,9 dólares contra 68,6 dólares pela hora de trabalho, respectivamente.

Especialistas do Centro de Estudos Estratégicos estimam que também vá mudar a estrutura de trabalhadores administrativos e, em alguns casos, de altos executivos.

Os assim chamados trabalhadores de “colarinho branco” serão substituídos por sistemas inteligentes.

“Até 2025, cerca de 30% dos trabalhadores corporativos chegarão a seu fim por causa da inteligência artificial, além disso, será possível robotizar certos segmentos complexos de atividades bancárias, serviços jurídicos, contabilidade e análises”, frisou o centro.

“Espera-se que a renúncia generalizada aos sistemas de contratação e a troca rápida de demandas da qualificação para os trabalhadores conduzirão para a mudança de atitude a carreiras profissionais e à escolha da profissão”, assinalou a empresa.

Para especialistas, “no mercado de trabalho surgirá uma grande demanda de novos cargos e profissões, relacionada ao uso tecnológico avançado de produção, à intelectualização e robotização da produção”.

*Agência Sputnik News

Comentários

comentários