Empresa canadense alerta para escassez no ciclo do metal precioso; isso pode influenciar no preço da joia que você guarda em casa;

O ouro, aparentemente está acabando na Terra. Teremos sérias dificuldades para substituir as enormes jazidas de ouro exploradas nos últimos 130 anos. Isto foi afirmado por Pierre Lassonde, cofundador e presidente da empresa canadense Franco-Nevada, detentora de royalties na extração de ouro e outros recursos naturais.

ENTENDA O CASO

Falando com a revista financeira alemã Finanz und Wirtschaft, Lassonde declarou que há uma desaceleração significativa do número de grandes jazidas de metais preciosos que estão sendo descobertas. Ao mesmo tempo, os lendários campos de ouro, como a Bacia de Witwatersrand na África do Sul, Carlin Trend no Nevada e Super Pit na Austrália, estão se aproximando do fim dos seus ciclos de vida.

“Realmente não importa o que acontecerá com o preço do metal precioso nos próximos anos. A produção está caindo e isso significa que a pressão altista sobre o preço do ouro poderá ser muito intensa”, disse ele.

PARA DESCOBRIR NOVAS JAZIDAS

Em cada uma das décadas de 70, 80 e 90 foi descoberta pelos menos uma jazida de ouro com mais de 50 milhões de onças, pelo menos dez jazidas com mais de 30 milhões de onças e inúmeros depósitos com cinco-dez milhões de onças. Entretanto, nos últimos 15 anos não foi encontrada nenhuma jazida de 50 ou 30 milhões de onças. Foram descobertos apenas vários pequenos depósitos com 15 milhões de onças.

Hoje em dia são descobertas poucas jazidas, principalmente porque as empresas tiveram que cortar os investimentos em exploração geológica em resposta aos baixos preços do ouro.

Além disso, para uma nova mina começar a produzir metal precioso em quantidades comercializáveis, isso leva, em média, sete anos. Os regulamentos no setor são muito rigorosos e a produção é muito cara. Ao contrário da indústria do petróleo, não foi inventado nenhum método de “fraturamento hidráulico” para extrair ouro em áreas de difícil acesso, o que também contribui para a redução da produção.

*Agência Sputnik News

Comentários

comentários