Depois de sentir-se mal em casa, presidente foi levado ao Hospital Militar na tarde desta quarta-feira (25);

Da redação

Foi uma quarta-feira (25) tumultuada no Palácio do Planalto. No dia em que a Câmara dos deputados decidiria se o Supremo Tribunal Federal (STF) poderia investigar as denúncias de corrupção contra o presidente Michel Temer, ele dava entrada no Hospital Militar da Base Aérea (HMAB), em Brasília, com um quadro de obstrução urológica.

A internação durou algumas horas. Às 20h ele deixaria a unidade com destino ao Palácio do Jaburu, sua residência oficial. Ao deixar o hospital, o presidente acenou para jornalistas, fez sinal de positivo e afirmou: “Estou inteiro”. Em nota, o Palácio do Planalto informou que Temer passa bem e repousará em casa.

O presidente foi levado ao Hospital do Exército no início da tarde após sentir-se mal. Após avaliação no departamento médico do Palácio do Planalto, foi constatada a obstrução urológica. No hospital, o presidente foi submetido a uma sondagem vesical, que consiste na introdução de um cateter através da uretra até a bexiga, com o objetivo de drenar a urina.

Alguns aliados do presidente foram ao hospital, mas não puderam visitá-lo no quarto. Enquanto esteve no hospital, Temer não teve informações sobre o andamento da sessão na Câmara que vota hoje a segunda denúncia contra ele. Segundo a assessoria do presidente, ele não assistiu televisão nem teve acesso ao telefone celular e só vai se inteirar dos acontecimentos na Câmara ao chegar em casa.

*Agência VIU! com EBC

Comentários

comentários